não disponível

Notícias

José Soeiro
Março 11, 2020 03:11 PM

José Soeiro apresentou a proposta do Bloco para proteger direitos de trabalhadores a recibos verdes e plataformas face ao surto de Covid-19. O Bloco quer acabar com a regra que faz com que a sua baixa só comece a contar ao 10º dia e garantir que em caso de cancelamento de atividades ou de encerramento de empresa recebam remuneração.

Janeiro 28, 2020 11:24 PM

O deputado José Soeiro esteve reunido com as Comissões de Trabalhadores da Efacec Energia e da Efacec Engenharia. Bloco questionou o governo sobre o futuro da empresa.

Não há Planeta B
Setembro 25, 2019 03:03 PM

NÃO HÁ PLANETA B
Com RUÍDO VÁRIO | EXPEÃO | DJ FAROFA & DJ PATISOL |
DJ URÂNIO & MC SISSI | + CONVIDADOS ESPECIAIS

Os últimos cinco anos foram os mais quentes desde que há registos, mas o compromisso de redução das emissões poluentes nos acordos climáticos internacionais ficou por cumprir. Vivemos em estado de emergência climática. Por este caminho – e apesar dos discursos bem intencionados – todas as metas para limitar o aumento da temperatura ficarão por atingir nos próximos anos, empurrando o planeta para a catástrofe. Mas muita gente (sobretudo as gerações mais jovens) já percebeu a dimensão do problema e sai às ruas em todo o mundo para exigir ação urgente dos governos. Não bastam promessas e acordos no papel. É preciso tomar acção já antes que seja tarde de mais. Em dia de Greve Climática, juntamo-nos no Jardim de São Lázaro no Porto para exigir o direito ao futuro.

Fórum Socialismo
Agosto 25, 2019 12:54 PM

Emergência climática, um feminismo para os 99%, as transformações do trabalho e a emergência da extrema-direita são alguns dos temas que vão juntar centenas de participantes, no Porto.

O Fórum Socialismo 2019 realiza-se no último fim de semana de agosto na Escola Artística Soares dos Reis, no Porto. Na sessão de abertura sobre as respostas à emergência climática, na noite de 30 de agosto, intervirão a eurodeputada Marisa Matias e João Camargo.

Opinião

Aconteceu no final do mês de outubro de 1979. Pela primeira vez – e, até hoje, a única no nosso país – as trabalhadores domésticas juntavam-se no Pavilhão dos Desportos de Lisboa para realizar o seu primeiro congresso nacional, sob o lema “Dizemos não à servidão”. Nos meses anteriores, o Sindicato do Serviço Doméstico multiplicara reuniões preparatórias e, em junho desse ano, lançara um Inquérito à Opinião Pública, que pretendia formar as delegadas sindicais no contacto com a população, pô-las a socializar, a comunicar na rua, a fazer entrevistas e a distribuir material, a chamar a atenção da sociedade para o Congresso.

O que isto denuncia não é tanto a heroicidade de alguns, é antes a desfaçatez de um mundo que desinvestiu nos serviços públicos de saúde e que hoje pede ao cidadão a mais obscena condição de mártir. Um mártir por um capitalismo que fez quanto pôde para desviar a saúde para o universo privado, sustentada em planos de seguros que simplesmente não prestam nunca o serviço que um Estado presta.